Notícias
Destaques
Artigos
Banco de imagens
Parceiros
Guia de Marcas
Newsletter
Quem somos
Contactos

PUB

Estudo IKEA: 33% dos participantes portugueses sentem-se mais felizes em relação à sua casa em 2021
2021-11-02

A oitava edição do estudo “A Vida em Casa” revela como a casa influenciou o bem-estar e a saúde mental em todo o mundo, durante a pandemia. Este novo relatório, um dos maiores e mais profundos estudos dedicados ao tema, realizado através de um questionário lançado em 34 países, com a participação de mais de 34 mil pessoas e a opinião de diversos especialistas, revela uma conclusão comum: a pessoas sentem-se mais positivas em relação à sua casa atualmente, do que há 12 meses atrás. Porém, quase um terço dos participantes portugueses refere que o seu bem-estar mental foi impactado negativamente durante os últimos 12 meses.

Depois de 12 meses desafiantes, em que 27% dos participantes a nível global afirmou que a sua saúde mental sofreu, as nossas casas e o nosso bem-estar mental tornaram-se mais intimamente ligados do que nunca. Com este estudo IKEA, é possível perceber que 33% dos participantes portugueses se sentiram mais positivos em relação à sua casa em 2021, face ao ano anterior. Destes, 38% viram o seu bem-estar mental melhorar. Aqueles que estavam infelizes em casa, mostraram mais constrangimentos no seu bem-estar mental.

O estudo A Vida em Casa 2021 - intitulado “O Equilíbrio começa em casa” – destaca as 5 dimensões fundamentais para criar o equilíbrio da vida em casa: Espaço, Relacionamentos, Comunidade, Rituais e o Futuro.

Uma boa notícia é que as pessoas não estão à espera de agir, uma vez que 64% admite que já fizeram alterações nas suas casas nos últimos 12 meses para poderem realizar as atividades que queriam ou precisam fazer em casa.

Significativamente, em Portugal, 43% revela que as suas relações com a família direta melhoraram durante o mesmo período, e 35% considera que estar perto da família e amigos é um dos aspetos mais importantes quando pensa na casa ideal. 43% destaca a importância da proximidade a espaços verdes.

Na dimensão “Relacionamentos”, a experiência dos portugueses foi semelhante à global, com 36% dos inquiridos portugueses a revelar que as suas relações de amizade foram positivamente impactadas nos últimos 12 meses, porém, há um dado que se destaca, pois 28% dos inquiridos portugueses viu as suas amizades afetadas negativamente durante a pandemia (mais 10% que nos outros países).

“Uma abordagem equilibrada ao nosso bem-estar mental ajuda-nos a tirar o máximo proveito da vida. E na IKEA, acreditamos que começa em casa. Um espaço em casa para a nossa mente. Mas queremos saber mais. Por isso, no Relatório Vida em Casa IKEA deste ano, pedimos a milhares de pessoas em todo o mundo que partilhassem as suas experiências nas cinco principais áreas relacionadas com o bem-estar mental e com a casa. As nossas casas tornaram-se lugares mais produtivos, mas dormir, relaxar e passar tempo sozinhos são fundamentais para alcançar o equilíbrio em casa. Estas foram as três atividades que as pessoas classificaram globalmente como as mais importantes para manter uma sensação de bem-estar mental em casa.”, afirma Cátia Carvalho, Home Furnishing & Retail Design Manager da IKEA Portugal.

A nível global, a casa ideal tornou-se mais limpa, mais verde e mais ágil. E a vida urbana e as distâncias de deslocação são agora, para os mais de 34 mil participantes, menos importantes do que eram há 12 meses atrás: 28% das pessoas querem mais espaço, 27% querem que seja fácil de limpar, e 36% querem um jardim ou varanda privada. Com base nestes indicadores, não é surpreendentemente que 38% das pessoas digam que sentem que o futuro será melhor do que é atualmente. As pessoas estão a pensar num futuro mais saudável e mais feliz - para si próprias, para as suas famílias e para o mundo que as rodeia.

PUB
Banco de imagens



Mercado

L.Branca/PAE

Multimédia

Exclusivos