Notícias
Destaques
Artigos
Banco de imagens
Parceiros
Guia de Marcas
Newsletter
Quem somos
Contactos

PUB

Contratação Pós-Covid para reinvestir no futuro do seu negócio
2020-09-24

A pandemia COVID-19 tem sido um golpe duro para as empresas; no entanto, as coisas parecem poder melhorar lentamente e eventualmente as empresas reagrupar-se-ão e descobrirão novas oportunidades de crescimento. Mas apenas aquelas que estão prontas e reinvestem no talento certo em vários departamentos, serão bem-sucedidas.

Compreender o Novo Normal

Novas oportunidades não significam formas antigas e confortáveis de fazer negócios. Como sublinharam os responsáveis Kevin Sneader e Shubham Singhal, da McKinsey & Company, as empresas terão de se adaptar a novas formas de operar, comercializar, vender, e servir os clientes.

As interações contactless tornar-se-ão muito mais importantes. O comércio digital, os serviços remotos e a automatização ganharão terreno. Com potenciais novas ondas de recorrência desta doença, muitos indivíduos – que são também eles clientes ou colaboradores da sua empresa ou dos seus fornecedores - continuarão provavelmente relutantes em interagir fisicamente, durante muito tempo.

Isso não significa que todas as empresas irão coxear. Em vez disso, "as empresas terão de repensar, e não de ajustar, os seus modelos de negócio” como sublinharam aqueles responsáveis. E estão corretos, diz a Adecco. As empresas terão de impulsionar a recuperação e aumentar as receitas.

Parte de como fazê-lo poderia passar pelo trabalho mais remoto e possivelmente para a mudança para semanas de trabalho mais curtas, como a Microsoft testou no Japão. Pode também significar uma aceleração da transformação e inovação digital, como aconteceu na companhia de seguros Aflac. Mais vendas e marketing online e mais mudanças na gestão da cadeia de distribuição.

Para tudo isto, qualquer empresa irá provavelmente precisar de ajuda. E uma forma de a obter, é começar a contratar de forma inteligente, agora.

Compreender a Estratégia e Ser Paciente

A razão para contratar é transformar verdadeiramente a forma como uma empresa faz negócios a múltiplos níveis - o que prospera no futuro levará a uma necessidade de nova experiência, conhecimento, competências e discernimento.

O primeiro passo será a empresa começar a identificar quais são as suas maiores necessidades e começar a formar a sua equipa e eventualmente contratar em conformidade. Estas novas pessoas terão novos conhecimentos que poderão modificar a estratégia e as necessidades de contratação.

Como por exemplo, no caso de uma empresa que tem o seu foco inicial no marketing e vendas digitais. A contratação para esta área, poderá levar a alterações para a cadeia de distribuição e aos produtos de outsourcing comercializados, bem como para a distribuição e, em seguida, implicações financeiras para todos. Tudo isto pode também mudar e ser afetado à medida que a propagação e as implicações da doença, mudam.

Os requisitos também variam muito de acordo com a indústria. O fabrico, por exemplo, poderá necessitar de uma produção mais flexível e fornecedores diversificados para assegurar a disponibilidade de peças e materiais. (Em fevereiro de 2020, 94% dos Fortune 1000 foram afetados por perturbações da cadeia de abastecimento na parte da China, mais afetada pelo surto).

A construção civil por sua vez, registou alguns grandes ressaltos, mas manter os trabalhadores socialmente distantes será um desafio. O trabalho à distância significa um aumento da procura também nas telecomunicações, mas como é que as empresas lidam com o rápido aumento da procura? As organizações de vendas em todas as indústrias precisam de reavaliar a forma de satisfazer os clientes.

Tudo irá evoluir. Para ser bem-sucedida, uma empresa tem de ser ágil e pronta a adaptar a sua abordagem. Os colaboradores têm de fazer parte dessa fórmula.

Encontrar as pessoas certas

O panorama do emprego mudou significativamente desde o final de 2019. Os registos de baixos níveis de desemprego deram lugar a níveis recordes e em toda a hierarquia das empresas. Os despedimentos estão a chegar a todas as funções, como escreveu o Washington Post.

Por mais difícil que seja para as pessoas que perderam o emprego e para a saúde geral da economia, é provável que as empresas de recrutamento vejam um excedente incomum de talentos, inclusive entre os concorrentes, afirma a Adecco.

Mas as empresas não devem deixar escapar a oportunidade e a necessidade de planear uma futura contratação, que feita à pressa pode conduzir a erros, alerta a Adecco. Uma organização deveria primeiro rever as suas práticas. Mais de um quarto das más contratações deve-se a práticas de contratação fracas e apenas 37% das empresas compreenderam realmente as lacunas de competências que tinham.

As empresas deveriam também considerar como a situação atual poderia oferecer uma nova flexibilidade e opções na contratação de pessoas mais capazes. O trabalho remoto, agora tão familiar a tantas empresas, pode tornar possível a contratação de candidatos em áreas totalmente remotas.

E igualmente importante, recorda a Adecco, dada a queda dos salários e a preocupação entre os candidatos, as empresas de recrutamento devem também elas manterem-se cautelosas na tentativa de obter um "acordo" com um novo colaborador. É pouco provável que um ressentimento no início venha a revelar-se útil a longo prazo.

Uma forma de gerir as complicações e considerações da contratação pós-COVID é trabalhar com empresas de recrutamento profissional que possam trazer perspetiva, bem como com os melhores candidatos. Neste ambiente, estas empresas têm mais fundos de talentos do que nunca – bases de dados trabalhadas que incluem as pessoas de que necessita para o futuro do seu negócio.

Capa da Revista



Mercado

L.Branca/PAE

Multimédia

Exclusivos