Notícias
Destaques
Artigos
Banco de imagens
Parceiros
Guia de Marcas
Newsletter
Quem somos
Contactos

PUB

FNAC solicita layoff simplificado
2020-04-03

Desde o início da pandemia Covid-19, a FNAC Portugal tem levado a cabo uma série de medidas, de forma a mitigar os efeitos nocivos deste vírus, com enfoque em garantir a segurança, a saúde e a estabilidade pessoal e profissional das suas centenas de colaboradores, espalhados de norte a sul do país, bem como a segurança de todos os seus clientes que continuavam a visitar diariamente as lojas FNAC.

A primeira destas medidas, foi o encerramento da maioria das suas lojas no dia 19 de Março, e no início da semana passada o fecho das últimas 7 lojas que ainda se mantinham a operar em regime de serviços mínimos, passando a FNAC Portugal a operar apenas com o canal online.

Perante a evolução da pandemia, e os consequentes danos económicos resultantes da mesma, e de forma a salvaguardar o futuro dos seus colaboradores, a FNAC decidiu recorrer a todos os sistemas de proteção que o Governo português está a disponibilizar às empresas. Nesse sentido, recorreremos ao programa de apoio às empresas, de forma a garantir o seu futuro e os que dele dependem, através do regime de “Layoff simplificado”.

Aceder a este programa de exceção é a única forma, disponível neste momento, para tentar minimizar os avultados prejuízos imediatos e garantir um futuro para a organização e os seus colaboradores. Neste sentido, a FNAC solicitou o processo de layoff, com efeitos a partir do passado dia 1 de abril, aos seus colaboradores, durante um período de um mês (renovável por igual período se se mantiverem as condições) nas seguintes modalidades: layoff total (aplicado a 87% colaboradores cujas funções foram suspensas na totalidade, sendo na sua grande maioria colaboradores que desempenham funções nas lojas FNAC que se encontram encerradas); layoff parcial (aplicado a 4% colaboradores que continuam em funções mas redução de horário) e inexistência de layoff (aplicado a 9% colaboradores que continuam a desempenhar a totalidade das suas funções).

É uma decisão difícil, mas necessária, que nos permitirá garantir os mais de 1800 postos de trabalho permanentes e continuar a solidificar o ADN FNAC como uma empresa arrojada e inovadora, que trabalha, diariamente, para levar o melhor da cultura, entretenimento e da tecnologia aos consumidores portugueses.

PUB
Capa da Revista



Mercado

L.Branca/PAE

Multimédia

Exclusivos