Notícias
Destaques
Artigos
Banco de imagens
Parceiros
Guia de Marcas
Newsletter
Quem somos
Contactos

PUB

Sociedade Ponto Verde e Rock in Rio já "reciclaram" 420 toneladas de embalagens
2019-09-05

Mais de 420 toneladas de resíduos de embalagens de vidro, plástico, metal, papel/cartão e madeira foram encaminhadas para reciclagem pela Sociedade Ponto Verde (SPV) no Rock in Rio Lisboa (RiR), desde a sua primeira edição em 2004, representando o peso equivalente a cinco Palcos “Mundo”. Agora, 15 anos depois e para assinalar o compromisso com a sustentabilidade, a SPV junta-se ao evento de celebração do RiR, que acontece nos dias 6, 7 e 8 de setembro, na Torre de Belém, em Lisboa.

Testar os conhecimentos e desconstruir alguns mitos sobre as práticas de separação de resíduos é o objetivo da SPV neste evento, tendo preparado uma prova “culinária” para todos os visitantes. Num ambiente de cozinha simulado, em que os ingredientes são embalagens, o desafio é incentivar todos os participantes a fazer a melhor “receita” de reciclagem, colocando as embalagens nos ecopontos corretos.

Durante os três dias desta edição especial do RiR estarão também os “mochileiros SPV”, equipados com ecopontos móveis com o objetivo de facilitar a recolha de embalagens e esclarecer as dúvidas sobre as regras da correta separação de resíduos. Juntam-se ainda dezenas de pontos de recolha seletiva no local do evento.

“O Rock in Rio, mais do que um evento de música, é um projeto social totalmente focado na sustentabilidade e está, por isso, em linha com os objetivos e missão da SPV. Como tal, a nossa parceria - que conta já com 15 anos – tem vindo a concretizar-se não só na gestão operacional dos resíduos em todas as edições deste evento, mas também na sensibilização dos portugueses para a importância da adoção de comportamentos ambientalmente responsáveis”, explica Ana Isabel Trigo Morais, CEO da Sociedade Ponto Verde.

Presente em oito edições do RiR Lisboa, a SPV apresenta oito dicas de reciclagem, importantes a reter quer seja em momentos de lazer, no trabalho ou em casa:

1. Devo espalmar as garrafas? Não é obrigatório, mas ajuda bastante o ciclo de reciclagem. Em casa, ocupam menos espaço e por ser menor o volume acumulado, diminui o número de deslocações ao ecoponto; já no ecoponto, é menor o volume que vão ocupar, diminuindo os custos e a poluição provocada pelo transporte e armazenamento desses materiais.

2. Devo escorrer as embalagens? Não é preciso que sejam lavadas, mas é importante que se escorra o conteúdo das embalagens, sobretudo para evitar mau cheiro em casa.

3. Tenho de retirar rótulos e tampas? Não. O processo de reciclagem consegue separar estes elementos.

4. Posso colocar lâmpadas no ecoponto verde? Não. E não devem ser colocadas também peças cerâmicas, cristais, loiças, espelhos, pirex e frascos de medicamentos.

5. Em que ecoponto posso pôr as cuvetes e embalagens de esferovite? O local correto é o ecoponto amarelo.

6. Devo deitar os óleos alimentares nos ecopontos? Não. Os óleos alimentares devem sim ser colocados nos oleões espalhados numa rede instalada em supermercados, mercados e postos de limpeza municipais.

7. Os pacotes de leite e sumos devem ser colocados no ecoponto azul para o papel/cartão? Não. Estas embalagens, embora designadas ECAL (embalagens de cartão para alimentos líquidos) devem ser colocadas no ecoponto amarelo.

8. Posso colocar embalagens com gordura? No caso das embalagens de metal, plástico ou vidro a presença de gordura não inviabiliza o processo de reciclagem. No entanto, no caso do papel/cartão não pode haver presença de gordura, por isso não é possível reciclar caixas de pizza, papel de cozinha, lenços de papel e guardanapos sujos, etc.

PUB
Capa da Revista



Mercado

L.Branca/PAE

Multimédia

Exclusivos