Notícias
Destaques
Artigos
Banco de imagens
Parceiros
Guia de Marcas
Newsletter
Quem somos
Contactos

PUB

Millennials estão a alterar a forma como se faz login para uma maior segurança online
2018-02-05

A IBM Security lançou um estudo global em que analisa as perspetivas do consumidor em torno da identidade e autenticação digitais, concluindo que, hoje em dia, é dada mais importância à segurança do que à facilidade no login em aplicações e dispositivos.

Os Millennials, comparados com as gerações anteriores, parecem estar mais despreocupados com o que entendem ser as passwords tradicionais, mas mais abertos a usar identificação biométrica, a autenticação multifatorial e os gestores automáticos de passwords por forma a melhorar a sua segurança pessoal. Com os Millennials a tornarem-se rapidamente na maior força de trabalho nos dias de hoje, estas tendências virão a ter impacto na forma como os empregadores e as empresas de tecnologia vão passar a dar acesso a dispositivos e aplicações num futuro próximo.

Em geral, os entrevistados reconheceram os benefícios das tecnologias biométricas, como leitores de impressões digitais, scans faciais e reconhecimento de voz, já que as ameaças à sua identidade digital continuam a subir em número e em sofisticação.

O estudo “IBM Security: Future of Identity” entrevistou cerca de quatro mil adultos dos Estados Unidos da América, Ásia-Pacífico e Europa, para obter informações sobre os pontos de vista do consumidor no que se refere à autenticação online, chegando a algumas conclusões. Desdec logo, que a segurança supera a conveniência. Os entrevistados classificaram a segurança como a grande prioridade no momento de iniciar sessão na maioria das aplicações, sobretudo quando se está perante apps e sites relacionados com questões financeiras, como o acesso a contas bancárias ou pagamentos online.

Por outro lado, a biometria torna-se dominante. Atualmente, 67% das pessoas estão já confortáveis com a autenticação biométrica, sendo que 87% pondera usá-la no futuro.

Enquanto 75% dos Millennials estão confortáveis e disponíveis a usar a biométrica, menos da metade usa passwords complexas e 41% reutiliza passwords. Já as gerações anteriores demonstram mais cuidado a criar passwords, mas estão menos abertas a adotar a autenticação biométrica e multifatorial.

A evolução das ameaças e também do contexto tecnológico criou desafios amplamente conhecidos à segurança digital, com os métodos tradicionais de login a dependerem fortemente de passwords e informações pessoais para se aceder a páginas e perfis online. Em 2017, as violações à segurança online expuseram informações pessoais, passwords e até números de segurança social de milhões de pessoas. "No seguimento de inúmeras violações de dados pessoais altamente sensíveis, não há dúvida de que muita da informação que usamos para provar a nossa identidade online é agora um segredo partilhado que está nas mãos de hackers", constata Limor Kessem, Executive Security Advisor, IBM Security . "Começa-se a reconhecer que, de facto, as passwords já não cumprem todos os requisitos de segurança e são inadequadas, pelo que é tempo de adotar métodos mais avançados que comprovem a identidade a vários níveis e possam ser adaptados com base em comportamentos e risco", conclui.

PUB
Capa da Revista



Mercado

L.Branca/PAE

Multimédia

Exclusivos