Notícias
Destaques
Artigos
Banco de imagens
Parceiros
Guia de Marcas
Newsletter
Quem somos
Contactos

PUB

"A euPago foi das últimas instituições de pagamento a ser autorizada e é a que mais cresce"
2019-05-20

Acreditada e regulada pelo Banco de Portugal, a euPago é uma empresa especializada no apoio a pagamentos online. Esta instituição de pagamento (entidade autorizada a prestar e executar serviços de pagamento em toda a União Europeia) disponibiliza diversas soluções que vão desde o e-commerce empresarial a vendas particulares. José Veiga, um dos sócios-fundadores, falou com a Grande Consumo sobre as novas regras da proteção de dados, a segurança dos pagamentos online e o futuro do e-commerce.

Grande Consumo – O que é uma instituição de pagamento?

José Veiga – Uma instituição de pagamento é uma entidade autorizada e supervisionada pelo Banco de Portugal, que permite oferecer soluções de pagamento.

GC – Que vantagens pode trazer?

JV – Ao contratar uma instituição de pagamento, como a euPago, fica habilitado, com um só contrato, a disponibilizar aos seus clientes meios de pagamento sofisticados, como, por exemplo, referências multibanco, MBWAY, cartão de crédito, débitos diretos, Payshop, entre outros. Por regra, só paga cada vez que o serviço for usado, sem custos fixos e outras obrigações contratuais.

GC – A euPago é 100% nacional, certo? Como se diferencia das demais instituições de pagamento?

JV – Os sócios da euPago são portugueses com formação em informática e programação. A empresa é constituída igualmente por capitais portugueses. O perfil da empresa acompanha o dos sócios, ao integrar valências técnicas, criando versatilidade nas integrações aos nossos fornecedores e clientes.

GC – Porquê escolher a euPago?

JV – A euPago foi das últimas instituições de pagamento a ser autorizada e é a que mais cresce. É também a que mais integrações tem com fornecedores e parceiros. Acrescido a tudo isto, tem sido política capitalizar a empresa, reforçando, a cada ano, os seus fundos próprios. A euPago é a instituição de pagamento com maiores fundos próprios do mercado, o que se traduz numa segurança acrescida aos nossos utilizadores.

GC – Para 2023, prevê-se que o comércio eletrónico represente 25% do gasto em cartões (vs 18% em 2017). Que mecanismos apresentam em termos de integrações com plataformas de e-commerce?

JV – Existem integrações com praticamente todas as plataformas de e-commerce mais relevantes do mercado. Graças ao perfil tecnológico da empresa, conseguiu-se estabelecer integrações de forma muito célere.

GC – Lançaram recentemente a aplicação para Android e para iOS? Quais são as suas mais-valias?

JV – Agora, os nossos comerciantes, conseguem aceder a toda a sua conta e acompanhar o seu negócio com o seu telemóvel. O futuro da euPago é também o “mobile”, pelo que acreditamos ser este o processo.

GC – Hoje em dia, uma aplicação é fundamental? Os portugueses têm aderido?

JV – Sem dúvida. Os nossos comerciantes têm a vida facilitada ao utilizar a app. Hoje, mais de 20% dos nossos utilizadores utilizam a nossa app quase de forma exclusiva.

GC – As diretivas europeias que se focam na uniformização dos pagamentos, a nível europeu, apresentam um grande desafio para as instituições de pagamento?

JV – Apresentam um grande desafio, mas também uma grande oportunidade. Com a nova diretiva europeia, o escopo de ação das instituições de pagamento saiu reforçado. E, embora seja difícil antecipar os próximos anos, sabemos que, por certo, as instituições de pagamento terão um papel relevante no panorama financeiro que se vive na Europa.

GC – E a questão da proteção de dados?

JV – A nova diretiva seria impossível de implementar se a protecção dos dados dos utilizadores não fosse reforçada. O acesso à informação bancária, as inicializações de pagamentos por parte dos clientes, entre outras novidades, só serão possíveis com um controlo mais rígido do tratamento de dados pessoais.

GC – Por outro lado, criam novas oportunidades de negócio?

JV – O acesso à informação bancária e as inicializações de pagamentos por via de APIs irá reflctir-se em soluções novas de controlos financeiros para os utilizadores bancários. Não só são novas oportunidades de negócio, como o negócio se está a criar por si.

GC – Como dissipam as preocupações dos clientes quanto à segurança da vossa instituição de pagamento?

JV – Reforçando os fundos próprios. Um cliente que saiba que a instituição de pagamentos que gere os seus pagamentos está capitalizada e financeiramente sólida é um cliente que pode ficar descansado com o nosso trabalho.

GC – As instituições de pagamento são o futuro dos pagamentos?

JV – São o futuro, mas também o presente. Hoje em dia, continuamos a viver uma revolução no digital e os bancos não teriam capacidade, sem um parceiro como as instituições de pagamento, em acompanhar o comportamento dos seus clientes.

GC – Que expectativas tem a euPago quanto a 2019? Vão apresentar novidades?

JV – Todos os meses, os nossos clientes são brindados com novas integrações e serviços. As novidades serão muitas, graças à nova diretiva, e a seu tempo, durante o decorrer deste ano, serão apresentadas.

Com a cortesia da Grande Consumo.

PUB
Capa da Revista



Mercado

L.Branca/PAE

Multimédia

Exclusivos